Welcome to the first unofficial Portuguese/English fan-site for the portuguese-american actress Daniela Ruah. She is currently starring in the worldwide famous CBS tv show NCIS: Los Angeles. We have no affiliation nor do we represent Daniela in any way. This is just a work of a fan. ENJOY!
super_bowl_greatest_commercials_2021.jpg
138492074_741955386723181_3202305401235110420_n.jpg
f256178d292b4ce22851d5a1883a921e.jpg
sbgc_sp_hero_landscape.jpg
super-bowl-commercial.jpg
sbgc_voting_header.jpg
NCIS_Los_Angeles_12x09_A_Fait_Accompli.jpg
NCISLA_1208_SG_043b.jpg
DanielaRuahFans Celebrating 11 Years Online


September 4, 2020   admin   Leave a Comment daniela ruah, NCIS Los Angeles, Season 12

Daniela Ruah está de volta ao trabalho, como a própria confirmou na sua página de Instagram. As gravações da 12.ª temporada de ‘NCIS: Los Angeles’ estão em andamento, depois da pausa por causa da pandemia do novo coronavírus.

Numa publicação que fez nas stories da rede social, esta quinta-feira, a atriz, que dá vida a Kensi, deixou claro que está de volta aos estúdios onde a série é gravada, mas num ambiente diferente do habitual.

Daniela Ruah explicou que toda a equipa está a colocar em prática as medidas de segurança, como o uso de máscara, para evitar o contágio e tentar proteger todos os trabalhadores da Covid-19. Ainda assim, não podia estar mais feliz por estar de volta às gravações.


Daniela Ruah is back at work, as she confirmed on her Instagram page. Filming for the 12th season of ‘NCIS: Los Angeles’ is underway, after the break because of the new coronavirus pandemic.

In a post she made in the social network´s stories, this Thursday, the actress, who gives life to Kensi, made it clear that she is back in the studios where the series is recorded, but in a different environment than usual.

Daniela Ruah explained that the entire team is putting safety measures in place, such as wearing a mask, to avoid contagion and trying to protect all Covid-19 workers. Still, she couldn’t be happier to be back on set.



Um documentário sonoro de Sofia Saldanha, uma reportagem da jornalista Mafalda Gameiro e a série de ficção “A Espia” são candidatos aos Prix Europa (Prémios Europa), que distinguem a produção europeia de televisão, rádio e Internet.

De acordo com o Conselho da Europa, que atribui os prémios, este ano foram selecionadas mais de 200 obras de 28 países, entre ficção, reportagem e documentário, estreados em televisão, rádio e Internet.

De Portugal está nomeada a série de ficção “A Espia”, de Jorge Paixão da Costa, protagonizada por Daniela Ruah, Diogo Morgado e Maria João Bastos, com produção da Ukbar Filmes, exibida este ano na RTP.


click to zoom

Está ainda nomeada a reportagem “E Deus Criou a Mulher… ou talvez Não”, de Mafalda Gameiro, com imagem de Pedro Boa-Alma, exibida no programa “Linha da Frente”, da RTP.

O Prix Europa deste ano decorrerá de 18 a 25 de outubro, em Postdam, na Alemanha, com a exibição e transmissão de todos os nomeados aos prémios. Os vencedores serão anunciados a 27 de outubro, apenas online.

 

FONTE

O programa Passaporte já revelou quem são os 12 atores portugueses, selecionados por um processo de candidatura, que vão integrar a quinta edição do projeto. A iniciativa, criada pela Academia Portuguesa de Cinema, tem como objetivo a promoção internacional de nomes da representação nacional.

Apesar de habitualmente se realizar na primavera, o programa Passaporte foi, este ano, adiado devido à pandemia da Covid-19. Assim, de 23 a 27 de setembro, os encontros, que decorrem em Lisboa, vão juntar atores portugueses com diretores de casting internacionais, que os poderão seleccionar para futuras produções de cinema e televisão.

Nos encontros com os diretores de casting estarão 12 atores portugueses, selecionados por um processo de candidatura.

Entre eles estão novos talentos da representação nacional, como Lucas Dutra, 20 anos e que tem feito sobretudo telenovelas e séries de ficção, mas também nomes que já têm um percurso internacional, como Daniela Ruah, Pêpê Rapazote e Alba Baptista, que protagoniza a série “Warrior Nun”, da Netflix.

A eles juntam-se ainda Rita Blanco e Beatriz Batarda, com mais de três décadas de carreira, Gonçalo Waddington, Joana Seixas e Rui Melo.


click to zoom

Foram ainda selecionados o ator angolano Pedro Hossi, que recentemente entrou no filme “Sérgio”, do realizador norte-americano Greg Barker, o luso-guineense Welket Bungué, protagonista do filme “Berlin Alexanderplatz”, de Burhan Qurbani, e a atriz luso-francesa Jaqueline Corado, que entrou em “A Gaiola Dourada”, de Ruben Alves.

Segundo a Academia Portuguesa de Cinema, em setembro estarão presentes em Lisboa, entre outros, Leo Davis e Lissy Holm, responsáveis pela escolha do elenco da série “White Lines”, da Netflix.

Em Lisboa estarão também Eva Leira e Yolanda Serrano, a dupla espanhola responsável pelo elenco da série “La Casa de Papel”, e Lisa Stutzy, responsável pelo casting do filme alemão “System Crasher”.
July 3, 2020   admin   Leave a Comment Advertising, Campaigns, Imprensa Portuguesa

A Academia Portuguesa de Cinema lançou uma campanha a apelar ao público para que regresse às salas de cinema e apoie a produção nacional, que vive um período difícil, face à paragem forçada do setor, devido à covid-19. O apelo está gravado num vídeo protagonizado por actores, realizadores, produtores e outros profissionais do sector.

Entre os que dizem que “nada substitui as nossas estórias, os nossos filmes, as nossas séries, estão Maria João Bastos, Daniela Ruah, Joaquim de Almeida, Nuno Lopes e Albano Jerónimo, actores; Luís Branquinho, diretor de fotografia; João Nuno Pinto, realizador; Filipe Melo, compositor; e Artur Pinheiro, diretor de arte.

Convidam ao regresso ao cinema, porque “as condições de segurança estão garantidas” e o cinema português precisa de apoio.

Vejam, abaixo, o vídeo completo da campanha:

Veja Cinema Português! from Academia Portuguesa de Cinema on Vimeo.

Os sites de entretenimento “Séries da TV” e “ComUM” publicaram as primeiras críticas da 1ª temporada da série original da RTP “A Espia”, protagonizada por Daniela Ruah, Diogo Morgado e Maria João Bastos.

Leiam os artigos completos AQUI e AQUI.

A Espia é assim, apesar das imperfeições, uma grande produção nacional merecedora de toda a atenção que está a receber. Lentamente começamos a ver uma maior aposta neste lado do entretenimento (já não era sem tempo!) e o caminho para o reconhecimento além-fronteiras a ser construído. À semelhança de Auga Seca e Vidago Palace, também A Espia merece estar no catálogo de um streamer (sem retirar qualquer mérito à RTP Play, que tem sido uma aliada preciosa nestas conquistas). Poderá esta ser a primeira série portuguesa na Netflix?

Quanto a pormenores mais técnicos, a mini-série surpreende pela excelente fotografia, cenários e guarda-roupa. É impossível ver e não ficar fascinado pelo minucioso trabalho de pesquisa e exatidão perante a época retratada. A ajuda do elenco encabeçado pelo regresso de Daniela Ruah à televisão nacional é fundamental para a boa execução do argumento original.

Uns esfumaram-se num ápice, quais devaneios próprios da infância. Outros fizeram-se projeto de vida, caso sério. Descubram, abaixo, qual era o sonho de menina de Daniela Ruah.

Daniela Ruah, atriz

Adoro desenhar e os livros de medicina do meu pai fascinavam-me pelas ilustrações anatómicas, por isso houve uma altura em que me imaginava ilustradora. Cheguei a imaginar-me a partilhar um escritório com a minha mãe como audiologista. Mas a minha paixão pela dança e a representação falou mais alto e segui estas disciplinas a todo o gás, com o apoio incondicional dos meus pais.

FONTE